agosto 28, 2008

O erro olímpico

Terminados os Jogos Olímpicos, já é possível fazer um balanço da prestação do «double» português em Pequim com algum distanciamento. Se no capítulo desportivo esteve acima do esperado – o que se pedia a Fraga/Mendes era a final B, o diploma olímpico (e estatuto de finalista?) é um saboroso extra –, houve um capítulo em que a dupla portuguesa ficou muito aquém do esperado, nomeadamente no que concerne em conquistar espaço mediático.

A culpa, convém defender antes da argumentação, não é de Pedro Fraga, nem de Nuno Mendes. Esclarecido este ponto, vamos ao essencial. A modalidade de remo alcançou uma prestação de alto nível entre a delegação nacional, só comparável ao sétimo lugar de Ana Hormigo (judo), ao oitavo de Ana Cabecinha (atletismo) e às boas prestação de alguns dos velejadores (falta-me, no momento em que escrevo, a tabela de resultados para frisar com precisão). Melhor do que Fraga e Mendes só fizeram três atletas: o azarado Gustavo Lima (vela), a um ponto da medalha de bronze, e a excelência desportiva de Nelson Évora (atletismo) e Vanessa Fernandes.

O bom resultado do remo não teve, contudo, visibilidade mediática. Houve um ligeiro fogacho no dia da final B, de pronto ofuscado pelo anúncio de despedida de Francis Obikwelu. De resto, a modalidade não aproveitou um momento único para conquistar notoriedade, deixando-se ofuscar por diversos factores, como resultados surpreendentes (a não-qualificação de Naide Gomes em atletismo), críticas infundadas (Telma Monteiro, judo) ou «bocas» disparatadas (Marco Gomes, atletismo).

A pouca visibilidade dedicada aos dois remadores foi bem aproveitada quando, antes de terem resultados (bons ou maus) a justificar, disseram de sua justiça em relação à forma como foram tratados pela Federação. Não interessa, agora, se tinham ou não razão no que disseram. O que importa é que, à parte essas declarações, não mais se falou do remo nacional.

A culpa, reafirmamos, não é dos tripulantes do «double». Uma organização que se preze tinha tido atenção a esse «pormenor» fundamental que é a comunicação, sobretudo quando está em causa a participação no maior evento desportivo do mundo, logo que o que capta mais atenções e, por inerência, movimenta mais dinheiro a nível de patrocínios, publicidades e gestões de direitos diversos. É fácil, agora, apontar o dedo à Federação, tanto mais que a prestação dos dois remadores nacionais pouco mais mereceu do que umas linhas diárias no sítio oficial. Em contraponto, basta ver o comportamento da Federação Portuguesa de Canoagem, que criou um blogue de forma aos interessados poderem acompanhar o dia-a-dia dos atletas nacionais.

Eu recuso-me, porém, a acusar a Federação. Tem a sua dose, sim, mas fundamentalmente os responsáveis são todos os envolvidos no remo nacional, de atletas e treinadores e dirigentes. Falta uma cultura de comunicação, de partilha de opiniões ou de debate, que resulta numa total ignorância de aproveitamento das escassas oportunidades mediáticas. Mesmo ainda antes de assegurada a presença olímpica, era obrigatório ter «treinado» os atletas a lidar com a atenção mediática. Sendo eles os «heróis» da façanha, precisam de saber como explicar o que sentem, o que querem, o que precisam. Além disso, era preciso um «gabinete sombra» a fazer pressão junto da Comunicação Social, de forma a não desperdiçar qualquer minuto de mediatismo. Não se pode esperar que um jornalista «desportivo» consiga distinguir um voga de um proa quando, durante os três primeiros anos do ciclo olímpico, nem sequer há quem acompanhe a modalidade.

A cultura e inteligência dos dois remadores (não é por acaso que ambos se licenciaram mesmo sem abandonar a modalidade) permitiu-lhes ter o discernimento de, além de não caírem na ratoeira de prometerem medalhas agora em Pequim (um clássico deste Verão), anteciparem as condições necessárias para poderem tentar as medalhas em Londres 2012. Pedro Fraga e Nuno Mendes estão mais soltos e fluentes a nível de expressão do que há quatro anos, mas continuam a ser uma excepção neste capítulo. É preciso estimular a comunicação interna para se saber o que dizer para fora da modalidade.

O que deve, pode e vai fazer o remo para Londres 2012?



João Miguel Ribeiro

Jornalista de remo e Técnico de Comunicação Social.

agosto 27, 2008

LaSTroke com nova imagem

O LaSTroke está de novo online com um novo grafismo.
Com este novo formato tornou-se mais apelativo,dinâmico, tem um blog e é agora possível comentar as noticias que estão divididas entre nacionais e internacionais.

http://www.laststroke.com/index.php

agosto 21, 2008

Magnifico !



Regresso sorridente dos dois remadores olímpicos ontem à noite no aeroporto de Lisboa onde tinham à espera deles muitos amigos e familiares.
Foi uma excelente recepção com direito a fotos e autógrafos e ainda se ouviu, já na viagem, histórias da sua estadia e participação nas olimpíadas.
Londres 2012 começa agora!

agosto 18, 2008

Regresso a casa

A equipa portuguesa chega a Portugal na próxima 4ª feira às 21.45h ao aeroporto de Lisboa.
Vão com certeza ter uma grande recepção no aeroporto com muitos remadores, amigos e familiares.
Um autocarro irá levar para Lisboa amigos que se querem juntar à recepção ao Pedro e ao Nuno, este autocarro vai fazer escala em Aveiro e Montemor.
Ainda há lugares de vago para quem queira participar na recepção aos olímpicos, para tal basta enviar um email para Strokeman75[at]gmail.com e todos os detalhes da viagem serão fornecidos.

agosto 16, 2008

Google Rowing


Chegou a vez do remo no logo do Google

They did it !

THEY DID IT!!!!!!!!!

They managed to make the fast start of SA/B and combine it with the 2nd km of the reps.
Nobody can believe how happy we are. It is unbelievable.
But they did it!

Today I see the race with some guys for Galitos and Naval, simultaneous contact over the phone with Sr Jorge. The boys gave everything and we where suffering. We would like that never this team will race alone anymore in the future.

Talking about the future I see great results from this boat. The start was good today and the last 500m we managed an 41-42 - 44 SR. That was with full length strokes. It was amazing. In 2012 for sure we will go row for FA.

Biggest surprise if the day is BUL winning the 1x and SWE last in FA.
CHN out if the medals! (Guess nobody is said about that)

But let us just focus on our 2x, 8th place! Enjoy it!

I hope that for the next 4 years we can work (more frequently) together with all the clubs/coaches/athletes which helped to make this result possible.

(SPORT, RCFP, CDUP(motorboat), Naval, CIM, Ginasio, Galitos)

Thank you,

see you in 2012!


Jorge/Rob/Eduardo

Rascão à Lusa

Shunyi, China, 16 Ago (Lusa) -- Pedro Fraga e Nuno Mendes podem receber para os Jogos Olímpicos Londres2012 o apoio que garantem lhes ter sido negado pela Federação Portuguesa de Remo para Pequim2008, após a promessa do presidente de premiar a excelência dos resultados desportivos.

"As bolsas estão contemporizadas. Os atletas devem é ter objectivos, pois não podemos premiar pessoas que não têm bons resultados. É como na profissão, só subimos de categoria se provarmos que somos melhores do que os outros", disse.

As divergências públicas podem ter tréguas, face à atitude prometida: "Serei igual para todos. Sem favoritos. Tentarei sempre apoiar os atletas no espírito de melhores resultados mais apoio. Se descem, menos apoio".

Sobre as múltiplas acusações feitas pelos atletas à federação -- desde ausência de apoio ao boicote ao seu trabalho -- Rascão Marques prometeu falar em Portugal, após os Jogos Olímpicos.

Em termos desportivos, o dirigente não poupou elogios à dupla que, pelo seu oitavo lugar na final de double scull ligeiro, vai permitir à federação ter mais meios para a alta competição no ciclo Londres2012.

"Tiveram muito bom desempenho. Definitivamente provaram que estão na elite mundial num dos barcos mais difíceis, com mais gente a lutar pelo apuramento para Jogos Olímpicos. Estou muito satisfeito pelo resultado", vincou.

E, sobre o seu desempenho, acrescentou: "Achava que indo à final B conseguiam um dos três primeiros lugares. O oitavo foi excelente para o remo português, sobretudo para o sector da alta competição. Esperemos que mais novos equipas nacionais se auto motivem e que para estar a este nível têm de trabalhar da mesma forma".

"Se o COP mantiver os mesmos processos de trabalho para Londres2012 significa que já partimos em posição vantajosa com uma equipa no projecto olímpico 2012 a este nível. A federação fica com mais meios para realizar o seu trabalho. Não vamos depender deles, mas são uma boa ajuda", concluiu.

RBA.

Mais Responsabilidade

Shunyi, China, 16 Ago (Lusa) -- Nuno Mendes e Pedro Fraga consideraram hoje que o seu oitavo lugar no double scull ligeiro dos Jogos Olímpicos vai aumentar a sua "responsabilidade no futuro", já com os olhos no desempenho do remo em Londres2012.

"O objectivo era entrar nos 12 primeiros e fomos oitavos. Segundos na final B. Foi excelente. A partir de agora a nossa responsabilidade aumentou", disse Pedro Fraga.

Por isso mesmo, sobra orgulho à dupla "por ter superado as expectativas" e pelo facto se agora serem equiparados a finalistas no projecto Londres2012, "o que, finalmente, vai permitir outras condições de trabalho".

Um dos segredos da tripulação do Sport Clube do Porto foi precisamente a forma como encararam a competição: "Viemos com expectativas, mas com os pé assentes na terra. Não viemos para as medalhas ou final. No fim superámos os objectivos e isso é bom".

"Acreditávamos no nosso perfil de regata. Mantivemos a cabeça fria com uns primeiros 1.000 metros muito técnicos e uns segundos no máximo, com bastante 'power' dentro de água", contou Nuno Mendes.

O voga disse como viu a prova: "Empregámos a táctica que se tem vindo a afirmar nestes últimos anos, uma característica nossa, com uma ponta final decisiva. Foi tudo ou nada. Sentimos que podíamos um fazer resultado excelente. Primeiro apanhámos a França, a Austrália ainda resistiu bastante, mas depois estourou e nós ainda tivemos força para ir buscar a Alemanha".

O double scull ligeiro acha mesmo que poderia ter ido mais longe, não tivesse disputado a meia-final mais complicada: "Na outra praticamente não houve competição. Cuba, a quem vencemos na repescagem, apurou-se e podia ter acontecido o mesmo connosco. Fomos injustiçados na distribuição das equipas".

Pedro Fraga congratulou-se com o ponto alcançado para a Missão de Portugal -- "é sempre bom poder ajudar" - e manifestou o desejo de que este resultado possa animar os próximos competidores lusos.

"Que seja uma motivação extra para as provas que faltam. Para o triatlo, canoagem... que treinou em Montemor-o-Velho connosco. Acreditamos que a canoagem vai conseguir bons resultados. A federação tem feito um excelente trabalho nestes quatro anos", concluiu.

RBA.

** Rui Barbosa Batista (texto)

New Zealand held them off. No one else could.

LIGHTWEIGHT MEN’S DOUBLE SCULLS (LM2x)

Anything can happen at the Olympics. Canada knows that. New Zealand knew this. Storm Uru and Peter Taylor of New Zealand were aiming for the A Final.

Today Uru and Taylor made the best of their first Olympics and got out to an early lead in this B Final. Germany and Australia followed the New Zealanders out with Uru and Taylor settling into a strong 35 stroke rate pace. By the half-way point Uru, 23, and Taylor, 24, had nearly got a full boat length lead over Australia and Germany. The New Zealanders were looking comfortable in their position.

The final sprint was coming into view. The crowd could be heard. Portugal’s Pedro Fraga and Nuno Mendes were unleashing the sprint that has been serving them well. From the back of the field, from their outside lane Fraga and Mendes charged. The Portuguese rating went to 43. New Zealand held them off. No one else could.

Noticia FISA

Fenomenais!

Não há muitas palavras para descrever esta participação do Pedro e do Nuno nestes jogos olímpicos, esta classificação vem abrir uma grande porta para o futuro desta equipa que acaba de obter um excelente 8º lugar.
História? Eles com a qualificação para os jogos já estavam a fazer história, são tão poucos os remadores a conseguir qualificar-se, mas eles queriam mais do que isso, esta equipa quer sempre mais, fazer história pela participação é pouco para esta dupla.
São já uma das revelações portuguesas na prova juntamente com a atleta do judo, Ana Hormigo.
Numa prova mais uma vez realizada à sua imagem, uma ponta final avassaladora deixando a sua marca em pista, mostrando que são sérios candidatos a um futuro de grandes vitórias e alegrias para eles e para o remo Português.
Mais do que falar deste feito, para quem os conhece sabia e sabe perfeitamente do que esta equipa era e é capaz, deve ser dito e sem qualquer tipo de preconceitos que são estes os exemplos a seguir, de dedicação, vontade e espírito de sacrifício, estes são os nossos exemplos.
Este resultado é fruto de TRABALHO, explicado já pelos seus treinadores e nada do que foi feito por eles é por demais surpreendente mas sim o resultado desse percurso que se faz sem atalhos e com paixão pelo desporto.
É agora tempo de festejar e preparar o futuro, Londres é já ali!

agosto 12, 2008

Video RTP

Noticia RTP

Largada rápida e não perder andamento

Agora que está terminada mais uma etapa nestes jogos olímpicos que culminaram com a passagem da dupla Portuguesa às meias-finais e que ao mesmo tempo cumpre o objectivo da equipa à partida para esta competição a equipa de técnicos que trabalhou com eles e que têm responsabilidade activa nestes resultados explicaram o trabalho realizado após a qualificação.

“Em primeiro lugar queremos agradecer o apoio, todos os e-mails, sms e chamadas telefónicas recebidas”

Foi um grande dia para o remo português e em especial para o Nuno e para o Pedro e como quase todos os portugueses também eles assistiram à regata pela televisão e como o Sr. Jorge costuma dizer “ Eu não vou morrer do coração” ao vê-los em prova.

Sobre a preparação dos jogos “a equipa treinou muito bem para este campeonato e partiu bem preparada para estes jogos. As semanas entre Poznan e Pequim serviram para melhorar o primeiro quilometro que teria de ser feito sem perder velocidade na segunda parte da regata”

Não havia tempo para uma mudança drástica de táctica “ largar à frente e manter-se à frente “, apesar de haver quem gostasse de ver uma táctica dessas.

Para Pequim só era possível recuperar 2 a 4 segundos no primeiro quilometro, “cerca de um barco” .

“Uma largada rápida e não cair tanto no andamento do barco nos primeiros 500m era o elemento-chave para a regata e a única mudança a fazer”

Os super-rápidos 500 metros efectuados em Montemor (1’28’’) antes da partida no último treino provou que a velocidade pura estava lá mesmo não sendo no barco da equipa, “ é com esse trunfo na manga que o Fraga e Mendes vão para a China”

Na eliminatória a largada foi bastante boa. “Sabíamos que podíamos terminar em 3º lugar” já que o segundo lugar seria mais difícil estando a Nova Zelândia e a França em pista. “ A passagem aos 1000 metros nesta prova foi o ponto-chave em vários sentidos, como o 3º lugar estava seguro não era necessário um sprint final”

Este ponto serviu como ferramenta de análise para a repescagem, serviu para analisar “a nossa táctica e técnica de remada ” , comparando os adversários directos aos 1000m ( HUN, CUB, JAP ) apenas perdemos 2 segundos no primeiro quilómetro de regata”

Esperava-se uma guerra de nervos para a repescagem, havia 4 candidatos para dois lugares mas “ tinha-mos de nos manter conforme planeamos, nunca deixar que se afastassem mais do que 2/3 segundos para depois lançar a nossa ogiva nuclear, o último quilómetro”

Como o Nuno e o Pedro são uma equipa talhada para este tipo de competições pois melhoram a cada regata que fazem a equipa estava confiante.

São atletas calmos e muito concentrados na sua tarefa e foi o que fizeram, apesar de parecer bastante simplista eles apenas competiram conforme planeado. Mas havia sempre a questão que era se o plano não saísse apenas do papel. “ Não interessa se trabalha results business e no de eliminar erros e dúvidas nos treinos tem sempre de haver aquele clique que faz com que tudo aconteça, e hoje aconteceu”

Conseguiram colocar aquele relativamente rápido primeiro quilómetro na água apesar da largada não ter sido perfeita e quando viram que o segundo lugar estava dentro de três segundos aos mil metros largaram a sua “ogiva” e estava feito, a passagem às meias-finais era uma realidade.

“A maior surpresa para nós foi que a Hungria ( Campeões do Mundo em 2005 e campeões Europeus em 2007) não conseguiram manter o ritmo e o Japão ( final A o ano passado em Munique) falharam o sprint

Os atletas estão obviamente muito felizes com este resultado e com esta difícil regata, as condições climatéricas estavam boas apesar de remarem contra o vento mas isso lhes deu mais espaço para o sprint final.

Apesar de terem tido “algumas dificuldades em encontrar um bom ritmo no início da regata mas no segundo quilómetro foi sempre a bombar”

No final da regata tiveram de pesar o barco e o Pedro teve de fazer controle anti-doping.

Amanhã começam a preparar a meia-final.

“O primeiro objectivo de chegar às meias-finais está cumprido.

Agora vamos ver o “quão fundo é a toca do coelho” ( Alice no País das Maravilhas/ The Matrix) “

Foi desta forma que os 3 técnicos ( Rob de Rooij, Jorge Cardoso e Eduardo Oliveira) explicaram este trajecto da equipa olímpica que já estão a fazer história no remo Português.

Uma questão de Fé

O remo português averbou hoje o melhor resultado de sempre em Jogos Olímpicos, com a passagem de Pedro Fraga e Nuno Mendes às meias-finais de double-scull ligeiro de Pequim2008, depois da vitória na etapa de repescagem.

Numa regata cheia de emoção, nos primeiros 1.500 metros os remadores portugueses foram sempre no quarto lugar, atrás de Hungria, Japão e Cuba, antes de recuperarem terreno num esforço final nos últimos 500 metros, vencendo à frente da tripulação cubana e japonesa, segundos e terceiros classificados, respectivamente.

“A última parte da nossa prova é sempre muito mais forte do que a primeira”, disse Nuno Mendes no final, com Pedro Fraga a afirmar: “sabíamos de antemão que eles iam tentar sair para liderar a corrida e nós tentamos vir o mais próximo deles para depois no fim atacar, como tem sido hábito nos últimos tempos. E conseguimos”.

Pedro Fraga e Nuno Mendes acabaram por fazer um tempo de 6:39,07 minutos, contra 6:40,15 minutos de Cuba e 6:43,03 do Japão, levando assim Portugal ao grupo dos 12 países que participam nas meias-finais, que conduzem às finais A (para os três melhores das meias finais) e, para os restantes, às finais B.

“Nas meias-finais de quinta-feira vamos ver e definir os objectivos. Já estamos nos 12 primeiros, que era o nosso principal objectivo até aqui, mas já que aqui estamos não nos vamos ficar por aqui, espero eu. Vamos tentar subir lugares e tentar alcançar a melhor classificação possível”, disse Nuno Mendes.

Pedro Fraga defendeu uma participação mais resguardada na meia-final, na qual, disse, os portugueses vão tentar arrancar na frente da prova.

“O que nos interessa aqui é o resultado e não tanto a meia-final, que acaba por ser uma passagem. Se sair bem pode ser o sucesso dos sucessos, se não sair tão bem temos a final B para finalizar da melhor maneira”, adiantou.

Nuno Mendes foi, no entanto, claro: “Será muito difícil pensar nas medalhas. Para já fazer uma boa final B e uma boa meia-final será óptimo”.

Quanto à prova de hoje, os dois atletas confessaram-se muito cansados depois da prova de hoje, que Pedro Fraga afirmou ter sido uma questão de fé.

“Foi muito difícil desde o princípio. Esta prova era para quem mais acreditasse, porque dos seis barcos que arrancaram quatro eram muito equilibrados e só estavam em disputa duas qualificações”, explicou, com Nuno Mendes a celebrar sobretudo a vitória sobre a Hungria (quarto lugar), “uma equipa muito forte, que foi campeã do mundo em 2005 e que à partida seria a equipa que pensávamos que não conseguiríamos bater”.

O remo português, que há 12 anos não marcava presença nos Jogos Olímpicos, atingiu hoje assim a sua melhor classificação de sempre e os dois atletas prometem: “vamos tentar dar o melhor, manter a dignificação do remo português e da nossa bandeira”.

“É com muito orgulho, e com muito trabalho também, que o conseguimos. Trabalhámos bastante para estar aqui e estar agora entre os 12 melhores de todo o mundo é uma grande satisfação”, afirmou Nuno Mendes.

A relação entre os dois remadores e a Federação Portuguesa de Remo vive na actualidade um momento polémico. Os atletas dizer ter sido “proscritos” pela federação, a quem acusam de tratamento diferenciado, falta de apoio e de lhes dificultarem os treinos, ao ditar os locais de treino e impor o director técnico nacional José Santos.

O presidente da federação, António Rascão Marques, reconheceu recentemente que há “alguns problemas”, mas preferiu não comentar.

Pedro Fraga disse hoje esperar que o resultado já conquistado em Pequim2008 altere a estrutura de auxílio à carreira e aos treinos dos dois remadores.

“Estamos afirmar-nos a pouco e pouco. Espero que agora seja o ponto de partida para os próximos quatro anos, para termos apoio a sério, para se Deus quiser dentro de quatro anos estejamos aqui a lutar pelas medalhas ou por um afinal A”, disse o atleta português.

Os remadores acusam também a federação de ter “comprado barcos para quase toda a gente” menos para eles e de competirem em Pequim com uma embarcação já com seis anos e frente a adversários com barcos de 2008.



RBV.

Lusa/Fim.

Start List Semi Final A/B


LWT Men's Double Sculls Semifinal A/B 2
SY Rowing-Canoeing Park / Thu Aug 14 2008 / Start Time:16:00, horas locais!

1 PortugalPortugal (b)
(s)
FRAGA Pedro
MENDES Nuno
Jan 27 1983
May 10 1984
2 GreeceGreece (b)
(s)
MOUGIOS Dimitrios
POLYMEROS Vasileios
Oct 13 1981
Feb 20 1976
3 New ZealandNew Zealand (b)
(s)
URU Storm
TAYLOR Peter
Feb 14 1985
Jan 03 1984
4 DenmarkDenmark (b)
(s)
RASMUSSEN Mads Reinholdt
HANSEN Rasmus Nicholai Quist
Nov 24 1981
Apr 05 1980
5 ChinaChina (b)
(s)
ZHANG Guolin
SUN Jie
Mar 14 1985
Jun 13 1988
6 AustraliaAustralia (b)
(s)
BELTZ Samuel
GIBSON Tom
Aug 31 1980
May 06 1982
Qualification Rules: 1-3->FA, 4..->FB

Já está!


Já está, os objectivos da dupla Portuguesa estão atingidos, são neste momento a melhor participação de sempre em competições dos jogos olímpicos e ao mesmo tempo estão nos lugares a que se propuseram.
Resumo da regata LASTROKE

Mais noticias em:
Agência Lusa
RTP
Jornal Record
TSF

agosto 10, 2008

Mendes e Fraga Optimistas

Os remadores portugueses Nuno Mendes e Pedro Fraga disseram hoje estar confiantes quanto às suas possibilidades nas provas de repescagem de Double Scull, terça-feira, depois de uma primeira regata de onde saíram satisfeitos.

A dupla portuguesa terminou hoje a prova de dois mil metros no terceiro lugar, à frente das tripulações de Hong Kong e da Coreia do Sul, depois de ter arrancado em quarto lugar, recuperando uma posição à chegada aos 1.500 metros da pista olímpica de Shunyi, nos arredores de Pequim.

“O nosso perfil de regata é sempre para recuperar posições. Conseguimos mesmo assim largar mais fortes do que o habitual”, disse à Agência Lusa Pedro Fraga.

Nuno Mendes não escondeu também a satisfação no final da regata. “Senti que melhorámos bastante na primeira parte da prova, que era o que tínhamos de menos bom, e, por isso, acabou por ser natural a passagem do quarto para o terceiro lugar”, afirmou.

Reconhecendo a superioridade da Nova Zelândia e de França, primeiro e segundo colocados, respectivamente, na eliminatória em que participaram, Pedro Fraga e Nuno Mendes apostam também no realismo no que toca a medalhas.

“Tenho os pés bem assentes na terra e sei que conquistar uma medalha será muito difícil... nem é um objectivo que tenhamos delineado. Chegar nos 12 primeiros já seria muito bom”, disse Pedro Fraga.

Contra os 6.16,35 minutos dos vencedores - a dupla neo-zelandesa Storm Uru e Peter Taylor -, os remadores portugueses completaram os dois quilómetros em 6.24,35, um resultado que os deixou satisfeitos, apostando agora tudo na prova de repescagem, na qual acreditam ter boas possibilidades de passar às meias-finais.

“As equipas que vão participar na repescagem estão todas de igual para igual, não há nenhuma que se destaque”, afirmou Pedro Fraga, acrescentando que o objectivo é lutar pelo primeiro lugar ou o segundo, contra Índia, Japão, Coreia do Sul, Hungria e Cuba.

Mesmo não apostando em medalhas, a dupla portuguesa não deixa no entanto de reconhecer que tem algo a provar, até porque são os primeiros remadores portugueses a participar nos Jogos Olímpicos nos últimos 12 anos.

“É uma grande responsabilidade estar aqui a demonstrar todo o nosso trabalho nos últimos quatro anos e a representar o remo português e toda a equipa que nos apoiou. É por isso que cá estamos”, concluiu Nuno Mendes.



RBV.

Rui Boavida (texto), Agência Lusa

Entrevista à RTP

Já está disponível no site da RTP a entrevista da dupla Portuguesa após a eliminatória desta manhã.


Noticia RTP

Portugal na repescagem

Portugal ficou classificado em 3º lugar com o tempo de 6.24.4 na sua eliminatória que foi vencida pela Nova Zelândia.
A equipa ligeira vai participar na repescagem na próxima terça feira às 16.30 horas locais, 9.30h em Portugal e vão ter como adversários a Índia, Cuba, Hungria,Japão e Korea.
Resumo da eliminatória em Lastroke.com

Start List:
http://results.beijing2008.cn/WRM/ENG/INF/RO/C51A/ROM122952.shtml#ROM122952

agosto 07, 2008

Start list LM2X

Já está disponível a lista de largada para a regata do double ligeiro.
A equipa portuguesa vai remar na 4ª eliminatória, na pista 1 contra Hong Kong, França, Nova Zelândia e Korea.
A regata realiza-se às 15.50 horas locais 8.50h em Portugal.

START LIST LM2X HEATS SUNDAY

H1 15h20
lane 1 ALG
lane 2 JPN
lane 3 GBR
lane 4 GRE
lane 5 GER
1-2->SA/B, 3,...->R

H2 15h30
lane 1 CUB
lane 2 IND
lane 3 ITA
lane 4 CHN
lane 5 AUS
1-2->SA/B, 3,...->R

H3 15h40
lane 1 URU
lane 2 CAN
lane 3 DEN
lane 4 HUN
lane 5 BRA
1-2->SA/B, 3,...->R

H4 15h50
lane 1 POR
lane 2 HKG
lane 3 FRA
lane 4 NZL
lane 5 KOR
1-2->SA/B, 3,...->R

source: http://results.beijing2008.cn/WRM/ENG/Schedule/RO_2008-08-10.shtml

Estão Prontos!

Pedro Fraga e Nuno Mendes estão prontos!

É assim que começa o resumo da reunião entre os atletas e um dos seus treinadores, Rob de Rooij,os atletas estão bem e recomendam-se.

Hoje fizeram séries de 750 metros contra algumas equipas australianas( 4- e 4x ) e foram bastante rápidos o que é sempre um bom indicador nestas alturas.

Nesta altura a equipa está a aguardar a sua sorte no sorteio mas apesar de muito confiantes são igualmente realistas quanto à forma de chegar ao seu objectivo que é ficar nos primeiros 12 classificados.

Segundo o treinador nestes últimos dias testaram um novo aquecimento para a regata, “hoje fizeram essa sequência de aquecimento, exercícios, vários níveis de cadência, etc.) que é ligeiramente diferente do normal devido à pista, condições climatéricas e devido à hora do dia em que vão competir”, nada está a ser deixado ao acaso.

Nos próximos dias vão aperfeiçoar esta nova rotina de aquecimento que como explicou o treinador “ um bom aquecimento é o elemento chave para uma boa regata, dá mais confiança e ajuda a entrar na rotina da regata, afinal uma regata não é nada mais que reproduzir o seu melhor “remo” e para isso esta sequência de aquecimento é importante.

Em relação ao peso a equipa está bem, nada de especial a salientar, não houve neste capítulo nenhuma alteração em relação às ultimas regatas.

agosto 06, 2008

LM2X à RTP



Antes da sua partida para a China e equipa portuguesa falu para a RTP.
A reportgem passou hoje na RTP e pode ser vista aqui



Fraga e Mendes à Agencia Lusa


Pequim2008: Remo - Federação impõe a Fraga e Mendes o DTN que os excluiu da selecção

Shunyi, China, 06 Ago (Lusa) - Pedro Fraga e Nuno Mendes, que acabaram com uma ausência de 12 anos do remo português em Jogos Olímpicos, foram obrigados a ir para Pequim2008 com José Santos, o Director Técnico Nacional (DTN) responsável pela sua exclusão por duas vezes da selecção.

A insólita situação contraria “completamente” a vontade dos atletas vice-campeões do mundo sub-23 em 2004 e 2005, que tudo fizeram para que fosse um dos seus três treinadores a acompanhá-los, esbarrando na intransigência da federação, bem como na inépcia do Comité Olímpico de Portugal: “estamos aqui sós, por nossa conta”.

“Quando soubemos que não vinha qualquer dos nossos treinadores, ficámos desorientados, mas somos fortes e ao longo do estágio de preparação para os Jogos fomo-nos mentalizando que ia ser assim e estamos preparados para sobreviver sozinhos”, resumiu Pedro Fraga, em declarações à Lusa.

O afastamento da selecção foi lamentado: “Explicaram a nossa exclusão com o facto de não trabalharmos com a equipa nacional - não o fizemos porque víamos que era uma casa que ia ruir - e que não nos enquadrávamos no grupo, com a filosofia de trabalho deles”.

“Nos mundiais de 2007 falhámos o apuramento por apenas dois lugares. Excluíram-nos logo aí da selecção e nem nos levaram aos europeus, onde tínhamos boas hipóteses. Nem apostaram em nós para a qualificação deste ano”, recorda. A Lusa falou com o DTN, que justificou a sua presença em Pequim com o facto da pré-acreditação já ter sido feita há algum tempo em seu nome e não ser possível alterá-la, considerando ainda que “nesta altura não faz sentido falar das divergências passadas”.

“Houve sensibilidades diferentes de entendimento em relação ao que é um projecto nacional. Entendíamos um processo nacional de uma outra forma, com perspectivas distintas. Mas agora o importante é haver estabilidade para que tudo corra bem na competição”, explicou.

Nuno Mendes revela que a dupla trouxe para a China um plano de treinos elaborado pelos seus treinadores, que nas provas internacionais em que a federação é representada nem conseguem credenciais - “temos de conversar num bar exterior” - mas considera que isso é insuficiente.

“E se as coisas correm mal? E se a estratégia falha? Quem nos auxilia? Estamos sós…”, lamentou.

Nuno Mendes falou da mágoa do double-scull ligeiro: “Como queríamos ser acompanhados pelos nossos técnicos, tentámos falar desta situação com Vicente Moura (presidente do COP), mas não conseguimos passar a sua secretária. O COP sabe das coisas, mas não fez nada. Os atletas são a alma do espírito olímpico, mas parece que somos quem menos conta”.

Jorge Cardoso é o treinador de sempre no Sport Clube do Porto, Eduardo Oliveira (doutorado em desporto) trata da parte do treino fisiológico desde 2004 e o holandês Robert de Rooij tem sido desde 2007 o treinador que os acompanhou esta época em Montemor-o-Velho. O resto da selecção de remo, com resultados internacionais modestos, evolui sob a orientação de José Santos no Pocinho (Trás-os-Montes).

“Face aos nossos resultados, o projecto Pequim2008 do COP dá-nos 750 euros. Quem nos treina também tem direito à verba, mas nenhum dos nossos treinadores alguma vez viu um euro sequer. O processo é dirigido via federação e só eles sabem quem está a receber”, prosseguiu Mendes.

A este propósito, José Santos diz ter a “ideia” de que algum dos treinadores da dupla teria recebido a verba, mas admitiu desconhecer o assunto na especificidade.

Pedro Fraga recorda ainda que toda esta situação é “pública, mas pouco mediatizada”: “A federação teve esta atitude lamentável connosco, mas, com o nosso apuramento, é ela quem está a beneficiar de tudo”.

Apesar de tudo, a dupla elogia a forma como o trio se está a comportar em Pequim - “não há conflitos, a relação pessoal tem sido óptima” - e revelou que o próprio chefe de Missão de Portugal, Manuel Boa de Jesus, teve uma reunião com a comitiva do remo.

“Disse-nos que tem conhecimento de tudo o que se passa. Tentou apaziguar uma possível hostilidade. Falou que agora estamos cá só os três e que não há volta a dar. Que o melhor será mesmo trabalhar da melhor forma para o bem de Portugal”, revelaram. José Santos destaca que nunca houve problemas de relacionamento entre si e os atletas, mas apenas distintas perspectivas quanto ao projecto do remo.

Pedro Fraga e Nuno Mendes concluíram: “Esquecemos o que se passou, a sua atitude (José Santos), mas nunca a postura da federação, que tem todas as responsabilidades na gestão da modalidade”. RBA. Lusa/Fim.

** Rui Barbosa Batista (texto) e André Kosters (foto), Agência Lusa **

agosto 05, 2008

LM2x Portugal - Jogos Olimpicos 2008

Amigos/as:

Para que possam saber mais acerca da nossa aventura Olímpica seguem abaixo os horários e datas das regatas do Nuno e do Pedro no LM2X.

Independentemente das transmissões televisivas podem seguir as provas EM DIRECTO em
www.worldrowing.com (carregue em “results” e depois em “live results”). Assim poderão acompanhar as provas, mas apenas através de informação escrita (relatórios a cada 500 metros da prova) acompanhada de comentários em áudio, nada de imagens.
As melhores possibilidades de se seguirem as provas ao vivo através da televisão são no canal Eurosport.

FUSOS HORÁRIOS / TIME ZONES
(CHN) indica a hora de Pequim.
(POR) indica a hora de Lisboa.
O fuso horário de Lisboa é -7h00 do que o fuso de Pequim.
O fuso horário da Europa Ocidental é -6h do que o fuso de Pequim.
O fuso horário da Europa Ocidental é +1h do que o fuso de Lisboa.

CALENDÁRIO
(informação publicada a 29/JUL/2008 sujeita a alterações no dia 07/AGO/2008)
Estão inscritos 20 barcos para a classe LM2X.

Domingo 10/AGO/2008
15h20 (CHN) - 08h20 (POR): eliminatórias de LM2X.
Serão feitas 4 eliminatórias de 5 barcos, a última das quais começará às 15h50 (CHN).
Os 2 primeiros lugares de cada eliminatória vão para a Semi-Final A/B; os restantes irão para as
repescagens (a repescagem corresponde a uma segunda oportunidade).

Terça-feira 12/AGO/2008
16h20 (CHN) - 09h20 (POR): repescagens de LM2X.
Serão feitas 2 repescagens de 6 barcos, a última das quais começará às 16h50 (CHN).
O dois primeiros barcos de cada repescagem irão para a Semi-Final A/B; os restantes irão para a Semi-Final C/D.

Quinta-feira 14/AGO/2008
15h10+15h20 (CHN) - 08h10+08h20 (POR): Semi-Final C/D de LM2X.
Serão feitas 2 Semi-finais C/D de 4 barcos cada uma. Os primeiros 3 barcos de cada prova são encaminhados para a Final C, o último barco de cada prova será encaminhado para a Final D

15h50+16h00 (CHN) - 08h50+09h00 (POR): Semi-Final A/B.
Serão feitas 2 Semi-finais A/B de 6 barcos cada uma. Os primeiros 3 barcos de cada prova são encaminhados para a Final A, os últimos 3 barcos de cada prova serão encaminhados para a Final B.

Sábado 16/AGO/2008
14h00 (CHN) - 07h00 (POR): Final D (2 barcos; lugares:19º a 20º) LM2X
14h20 (CHN) - 07h20 (POR): Final C (6 barcos; lugares: 13º a 18º) LM2X
14h40 (CHN) - 07h40 (POR): Final B (6 barcos; lugares: 7º a 12º) LM2X

Domingo 17/AGO/2008
15h30 (CHN) - 08h30 (POR): Final A (6 barcos; lugares: 1º a 6º) LM2X

pagina da equipa: www.fragamendes.com

Boa disposição

Fraga e Mendes no quarto com a sua mascote, o Flappie!

LM 2x à agencia Lusa

Declarações da equipa portuguesa à agência lusa ontem em Pequin.
A dupla dá já o mote para as próximas olimpíadas, tempo e estabilidade para continuar a evoluir e preparar Londres 2012.

Noticia completa:
Agência Lusa

agosto 03, 2008

Beijing 2008


Já instalados na aldeia olímpica a equipa portuguesa iniciou a ultima fase de preparação antes do inicio da competição sobre o "olhar" atento, embora distante do seu treinador .
“Estamos bem instalados e temos bastante conforto. Nota-se que está tudo pensado pelos chineses ao pormenor. Fomos dos primeiros a chegar, porque competimos no dia 10. Ainda estamos cansados devido à longa viagem, mas vamos recuperar”, disse Nuno Mendes
A equipa está confiante e já treinam no seu barco e como adianta Pedro Fraga,
“O calor e a humidade são problemas, mas os outros também vão ter de sofrer. Estamos apostados em garantir o apuramento nas repescagens, pois isso dará a possibilidade de integrar o grupo dos 12 melhores, seja na final A ou na B.”

agosto 02, 2008