A Lâmpada de Aladino


Quis rir, mas às vezes os ditames do cérebro confundem-se, cruzam-se, provocam curto-circuito, alguma coisa falha na alquimia da vida, alguma coisa me agitou num espasmo antes de desatar a chorar. O bêbado respeitou a minha angústia e, quando calculou que eu já tinha fungado o suficiente, estendeu-me a sua garrafa de Korn.” 


Conversaram, lembraram-se de muitas coisas bonitas de recordar e esqueceram outras que mereciam ser esquecidas, porque a vida é assim. (…) O velho e o cão iam contentes, porque a vida é assim.

Viagem pela Patagónia, enquanto não se faço de moto,vou sonhando e viajando nas páginas deste livro de Luís Sepúlveda.
Enviar um comentário

Mensagens populares